Procedimento de aumento peniano, é viável?


Tenho recebido muitos jovens em consultório com desejo de aumento da haste peniana, e com referências de sites com essa proposta, assim como profissionais indicando e divulgando resultados a respeito. Saibam que tal prática é infundada, e sem comprovação científica alguma. Segue texto retirado do site da Sociedade Brasileira de Urologia:

A maioria dos homens que procura procedimento de aumento peniano é portadora de um pênis normal, sem anormalidades anatômicas. Trata-se de uma dismorfofobia na qual o paciente faz uma interpretação errônea das dimensões da sua genitália. Como o nível de ansiedade é alto, nestes casos, o paciente realmente “procura uma solução” e vai acreditar nos resultados apresentados pelo profissional, independentemente da idoneidade ou não dos resultados apresentados.

A orientação ética e honesta é não operar estes pacientes, e sim tratar o transtorno psicológico/emocional. A proposta de aumento peniano como um procedimento cosmético do pênis normal é ainda considerada uma técnica investigacional e experimental. Várias técnicas de alongamento e/ou aumento da espessura peniana têm sido descritas, mas nenhuma se mostrou efetiva e segura, isto é, não existe medicina baseada em evidências nestes procedimentos.

O índice de complicações (como fibrose peniana, disfunção erétil ou mesmo infecções graves) e insatisfações com estes procedimentos de aumento peniano é bastante alto (Alter G, 1997; Rosenteeins M, 1995; Ghanen H, 2007).

O Conselho Federal de Medicina define como experimentais os procedimentos cirúrgicos de aumento peniano e neurotripsia (D.O.U.; 12 agosto de 1997. Seção 1, p. 17.338.). O Conselho Nacional de Saúde, através da Resolução 196/96, tem o mesmo pensamento e considera cirurgia experimental, que pode ser real

izada apenas em estudos experimentais, com consentimento informado e sem ônus para o paciente. Os últimos consensos brasileiro e latino-americano de Medicina Sexual, assim como as publicações mais recentes, recomendam a não realização do procedimento de alongamento peniano, por não apresentar resultados satisfatórios e estar acompanhado de altos índices de complicação e insatisfação.

A Sociedade Brasileira de Urologia, através do seu Departamento de Medicina Sexual e Reprodução, contraindica esta prática e reforça que não há estudos ou dados científicos que confiram credibilidade, eficácia ou segurança de qualquer técnica de aumento das dimensões penianas.

Sociedade Brasileira de Urologia

Departamento de Medicina Sexual e Reprodução

#aumentopeniano

48 visualizações

Oliveira -   Rua José Pinto de Carvalho - 155 - Centro

Belo Horizonte - Hosp. Vera Cruz - R. Aimorés 3000